Batalha do Mar de Coral 7a Parte
Escrito por Sidnei Eduardo Maneta   
Seg, 04 de Março de 2013 00:00

Assim que Takahashi emitiu a ordem “To tsu Re”, cujo significado é “entrar em formação de ataque”, os Kanbaku iniciaram uma subida para a altitude de 5.000 metros, enquanto os torpedeiros iniciaram uma descida para 1.200 metros.
Às 11h10, com uma aproximação do nordeste, ele ordenou o início do ataque com o código “To, To, To, To”. Um minuto depois, os porta-aviões USS Lexington na liderança e o USS Yorktown seguindo após, tentavam escapar para o sudoeste. Os dois manobraram para estibordo na direção 125º graus, posicionando os japoneses em seu bombordo.
Takahashi conduziu os trinta e três bombardeiros de mergulho em um largo círculo no sentido anti-horário com o objetivo de atacar da direção contrária do vento, enquanto Shimazaki liderou os torpedeiros diretamente contra os porta-aviões.


Foto japonesa de vários D3A1 do porta-aviões IJN Shokaku se aproximando da TF-17 para o ataque final.

O ATAQUE DOS D3A1

Às 11h21, em um ataque coordenado quase perfeito no momento do segundo impacto de torpedo contra o USS Lexington, Takahashi começou seu mergulho liderando sua shotai (unidade formada por três aviões). Ele foi seguido pela chutai formada por nove aviões do tenente Masao Yamaguchi e pela chutai formada por sete aviões do tenente Iwakichi Mifuku. Estas unidades japonesas que voavam em formação em fila única conseguiram chegar sobre o USS Lexington sem a interferência da CAP americana. Com o grande porta-aviões americano visível a sua direita enquanto circulavam a estibordo, os Kanbaku mergulharam encarando o fogo antiaéreo americano.


EI-208 a poucos minutos do mergulho contra o USS Lexington.

Uma das primeiras bombas lançadas atingiu a bombordo na parte frontal das baterias antiaéreas de cinco polegadas e detonou no interior de um depósito de munição, matando os artilheiros e iniciando um incêndio na cabine do almirante. Tendo completado uma manobra a estibordo, o grande porta-aviões agora navegava a todo vapor em direção oeste, forçando os kanbaku a realizar um mergulho raso com vento cruzado, atrapalhando assim a pontaria deles. Todavia, cinco detonações muito próximas acabaram destruindo uma bateria antiaérea de 20mm, abrindo vários rasgos abaixo do nível da linha d’água e causando a inundação de dois compartimentos. A segunda bomba atingiu a bombordo próximo da grande estrutura da chaminé, acionando a sirene do navio e matando os artilheiros postados nas galerias antiaéreas das metralhadoras .50 localizadas nos dois lados da estrutura da chaminé.
Quando a última shotai de bombardeiros de mergulho do IJN Shokaku realizou seu ataque, caças americanos F4F finalmente apareceram. Um caça F4F da unidade VF-42 abateu o avião do shotaicho (líder de uma ala formada por três aviões) suboficial sênior (WO) Hidenori Matsuda (piloto) e suboficial de primeira classe (PO1c) Takeo Nobe (observador/artilheiro). Os dois alas tentaram escapar deste caça abortando seus mergulhos e mudando seu ataque em direção ao porta-aviões USS Yorktown. Eles foram os últimos aviões a atacar o USS Yorktown, mas o avião do terceiro ala cuja tripulação era composta pelo suboficial de terceira classe (PO3c) Akishige Kaku (piloto) e pelo aviador de primeira classe (F1c) Noburu Matsuda (observador/artilheiro) acabou abatido por um caça F4F da unidade VF-2.


O USS Lexington sendo atacado pelos bombardeiros de mergulho. É possível observar a silhueta de um deles na parte superior da foto.

Após voar uma distância maior para alcançar o USS Yorktown, que estava mais a sudoeste do USS Lexington, a formação composta de quatorze kanbaku do porta-aviões IJN Zuikaku, que era liderada pelo tenente Tamotsu Ema, iniciou seu mergulho às 11h25, vários minutos após o término do ataque dos torpedeiros. Com sua capacidade de reação dedicada apenas ao ataque dos bombardeiros de mergulho, o USS Yorktown foi alvo de doze impactos próximos e registrou apenas um impacto certeiro.
Às 11h27, uma bomba de 250kg atingiu o convés de voo no meio do navio, penetrando três deques e explodindo pouco acima do quarto deque. Esta explosão dizimou um grupo de reparos, e causou danos estruturais significantes, além de inutilizar o radar de busca aérea. Estilhaços causaram o desligamento de três caldeiras, reduzindo a velocidade para apenas vinte e cinco quilômetros por hora.
Dois bombardeiros de mergulho do IJN Zuikaku sucumbiram ao fogo antiaéreo do USS Yorktown. O avião tripulado pelo shotaicho tenente Takashi Kuzuhara e pelo suboficial de primeira classe (PO1c) Koji Kawase (observador/ artilheiro) começou a soltar fumaça escura durante o mergulho. Após ficar envolto em chamas, acabou mergulhando no mar pouco à frente da proa do USS Yorktown. Outro D3A1 também foi abatido, o avião tripulado pelo suboficial de segunda classe (PO2c) Isao Kamioka e pelo aviador de primeira classe (F1c) Kiyoshi Izumi.


Foto japonesa tirada de um bombardeiro de mergulho que tentava escapar após atacar o USS Lexington.

Logo após o término do ataque, os kanbaku se dirigiriam para o ponto de encontro após o ataque localizado a cerca de 48 quilômetros ao norte dos alvos. Os bombardeiros do IJN Zuikaku viraram a esquerda. O tenente Tamotsu Ema trocou tiros rapidamente com um SBD, porém os outros D3A1 do IJN Zuikaku que sobreviveram ao mergulho não encontraram aviões inimigos nas proximidades e conseguiram escapar sem outras perdas.
Os bombardeiros do IJN Shokaku não tiveram a mesma sorte. Após o ataque ao USS Lexington, eles viraram a direita, e descobriram que sua rota de fuga seria obstruída por vários caças F4F e bombardeiros SBD. Os dois buntaichos, tenentes Yamaguchi e Mifuku, observaram a ala do comandante Takahashi mais a frente enfrentando aviões inimigos a baixa altitude e se aproximaram para ajudar. No subsequente combate aéreo, Mifuku foi ferido com gravidade no seu olho esquerdo durante uma passagem frontal de tiro contra um F4F. Esta foi a última vez que o comandante Takahashi foi visto.


Dois aviadores do IJN Shokaku que participaram dos combates aéreos sobre a TF-17: o piloto de caça A6M2 suboficial de primeira classe (PO1c) Ichirõ Yamamoto e o piloto de bombardeiro de mergulho D3A1 tenente Iwakichi Mifuku. Apenas Mifuku sobreviveu a guerra do Pacífico.

O tenente Yamaguchi alcançou o ponto de encontro e se agrupou com o tenente Mifuku e três caças “Zero” do IJN Shokaku. Eles se reuniram ao tenente Ema e um caça do IJN Zuikaku que já estavam no local de encontro. O tenente Takahashi não apareceu por lá. Este respeitadíssimo comandante era o oficial mais antigo que ainda estava em atividade junto aos grupos de bombardeiros de mergulho. Provavelmente ele foi morto durante este combate aéreo, junto com seu observador/artilheiro guarda-marinha Nozu. Outros quatro D3A1 do IJN Shokaku não conseguiram retornar ao seu porta-aviões, aumentando o total de perdas deste navio para sete bombardeiros de mergulho e quatorze tripulantes. Dois pilotos das unidades de caças VF-2 e VF-42, que retornavam do ataque contra a Força Móvel MO, reivindicaram a derrubada de três D3A1 que foram encontrados no voo de retorno.
Os tenentes Ema, Yamaguchi e Mifuku também se depararam com estes aviões americanos que retornavam do ataque, mas conseguiram escapar com a ajuda dos caças A6M2 que os acompanhava. Estes caças confrontaram os americanos.


Perfil colorido do D3A1 código de cauda EI-208 pertencente ao IJN Shokaku.

O ataque japonês contra a TF-17 terminou às 11h40. Apesar dos danos causados, ambos porta-aviões americanos pareciam estar em boas condições, e as operações de voo continuaram sem interrupções. A inclinação do USS Lexington foi rapidamente corrigida e as chamas quase extintas. O USS Yorktown também solucionou os problemas causados pelos danos recebidos.

Depois, às 12h47, uma terrível explosão abalou o USS Lexington. No interior deste navio, faíscas dos motores elétricos atingiram o vapor de combustível que vazava dos tanques que tinham sido rompidos durante o ataque. Os incêndios resultantes ficaram fora de controle, ocasionando uma série de explosões violentas que finalmente dominaram o navio.

BIBLIOGRAFIA:
1.Livro: FIRST TEAM: PACIFIC NAVAL AIR COMBAT FROM PEARL HARBOR TO MIDWAY - by John B. Lundstrom
2. Livro: AICHI 99 KANBAKU 'VAL' UNITS: 1937-42 - by Osamu Tagaya

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum