Spitfire Mk. IXc Late Version – Eduard 1/48 (#8281)
Escrito por Eduardo Mendes   
Qua, 04 de Outubro de 2017 00:30


Boxtop

 

O Spitfire IX

A versão IX do Supermarine Spitfire foi uma resposta imediata ao surgimento nos céus do Front Ocidental do Focke-Wulf 190 em meados de 1941. Como não havia tempo hábil para a entrada dos planejados Spitfires VIII equipados com o motor Merlin da série 60, restou à equipe da Supermarine adaptar o novo motor a células do Spitfire V já em produção.

Spit IXc

                        Spitfire IXc de Pierre Clostermann, junho de 1944

Dessa adaptação de emergência surgiu uma das mais importantes versões de um dos mais importantes caças de todos os tempos. Cerca de 5600 Spitfires IX foram construídos a partir de 1942 e exemplares dessa versão continuaram em serviço na RAF até depois do final da II Guerra. Vendidos para outros países, Spitfires IX formaram por anos parte importante das forças de França, Holanda, Bélgica, Tchecoslováquia, Itália, África do Sul e Egito, além de terem sido, já na década de 50, parte da nascente força aérea do novo Estado de Israel.

 

O Kit

O Spitfire IX na escala 1/48 parecia sofrer de uma "maldição". A despeito dos esforços de vários grandes fabricantes, ainda não havia sido lançado um kit que não tivesse algum problema sério, seja nas dimensões básicas, em detalhes importantes ou no controle de qualidade. O anúncio do novo kit da Eduard causou uma grande expectativa na comunidade de modelistas, em particular pela campanha agressiva na internet mostrando as suas virtudes.

A versão é um ProfiPACK, ou seja, além das peças em plástico o kit traz acessórios em PE, máscaras para o canopi e seis opções de decais. Tudo vem muito bem embalado em uma caixa de 27x33x5 cm com abertura por cima, muito resistente. Na frente, uma bela ilustração (emoldurável) de um Spit do Esquadrão 340 em combate. A caixa é espaçosa o suficiente para acomodar todos os itens com folga.

Box

Outro pequeno deslize, creio que provocado pela grande tiragem desse kit somada ao tempo e à grande quantidade de encomendas de uma vez só. Algumas das árvores em plástico do meu exemplar vieram com uma quantidade considerável de óleo desmoldante ainda grudado. Não sei se se as peças são lavadas na fábrica antes da expedição, mas o fato é que poucas vezes vi um kit com tanto óleo assim. Mas nada que uma boa lavagem com muito detergente não tenha resolvido. A respeito disso, algumas semanas depois, já com a montagem adiantada e tomada a decisão de montar um outro, recebi o meu segundo Spit e as árvores vieram "limpinhas", sem resíduos de desmoldantes.

Quanto ao kit em si, em estireno são 207 peças arranjadas em 5 árvores, uma delas de transparências.

A árvore "A", em estireno transparente, contém as peças para o canopi (que pode ser montado aberto ou fechado, com peças específicas para cada escolha), luzes e parte das peças para as miras. A execução das transparências é impressionante: o para-brisas praticamente não apresenta distorção e as "bolhas" são suficientemente finas e transparentes para distorcer o mínimo a visão do interior. Os detalhes moldados nas peças chegam ao requinte de mostrar os rebites da armação do canopi, armação esta representada em um plástico fosqueado que facilita sobremaneira o trabalho de mascaramento e pintura.

 

sprue-a WS hood-open hood-close

 

 

 

A árvore "C" traz as peças básicas para a montagem das asas (sugestivamente, uma asa "C", com 2/4 canhões de 20 mm e 4 metralhadoras .303 e radiadores simétricos). A qualidade da moldagem é impressionante, com milhares de pequenos rebites e linhas de painel extremamente delicadas. Os orifícios de saída dos cartuchos das armas são vazados e cada plug, vent e painel está lá. Na parte superior da asa as "bolhas" para acomodar os canhões são do tipo "comprido", corretas para muitos Spits IX. Deve-se prestar atenção pois a peça é moldada integralmente com a asa superior, não havendo opção para outras configurações. Não notei também previsão nas peças oferecidas para expor o armamento nas asas, prática muito comum em modelos do Spitfire na 1/48. Creio que a Eduard venha a oferecer isso depois com peças diferenciadas. De qualquer maneira, cheque suas referências.

Sprue-c over  SC-under  C-det1  c-det-1 
Det-3   Det-4  ins-1   ins-2

 

A árvore "E" contém as peças básicas para a fuselagem e as opções para o nariz (partes superior e inferior do capô, duas variantes cada). Não há motor, que será oferecido futuramente como acessório em resina (Brassin). Uma pequena antepara estrutural é fornecida para facilitar o alinhamento, já que o topo do capô é em duas peças, provavelmente para viabilizar a desmoldagem da peça que tem curvas complexas. Ao montar, recomendo colar por baixo dessas duas peças uns tabs de plástico, unindo-as, para assegurar um alinhamento perfeito.A mesma recomendação vale para o "queixo" dos aviões que têm o filtro AeroVee, típico dos Mk.IX late, que também vem em duas peças e requer uma atenção especial no alinhamento. O detalhamento exterior é deslumbrante, chega-se ao requinte de se ter vários tamanhos de rebites e um discretíssimo desnível entre alguns painéis. Mesmo em escalas maiores é muito difícil ver-se algo sequer parecido.
Não creio que se deve ficar mal impressionado com o espartano detalhamento moldado nas metades internas da fuselagem: a maior parte dos detalhes estará no conjunto do cockpit que será montado à parte, embora algum purista chato possa reclamar da falta de cavername atrás do assento do piloto, aquela região na qual só chega luz de lanterna... Nota-se a previsão para abrir o painel de acesso ao rádio na fuselagem de bombordo, atrás do cockpit – há um set de resina previsto pela Eduard para os próximos meses para detalhar essa área. Nota-se também o sistema para fixação da bequilha em "tubo" a ser fixado na fuselagem traseira. Boa solução para um alinhamento perfeito.

Um colega da Associação achou intrigante uma linha moldada em alto relevo na fuselagem traseira, a meio caminho entre a cauda e o cockpit. Ele supôs ser uma marcação para um futuro corte na fuselagem para adaptar a cauda do Mk.VII/VIII com bequilha retrátil. Dado o nível do kit acho muito difícil a Eduard cometer tal heresia, certamente será oferecida uma peça toda nova nesse caso. Parece-me mais plausível que essa linha sirva de guia para colar um plug com detalhes estruturais acompanhando o compartimento do rádio e/ou câmeras nas versões de reconhecimento.

 

E-over E-2 Interior E-det

 

 A árvore "F" contém a maioria das peças para compor o cockpit e as superfícies de controle, pontas das asas, etc. Sem ser repetitivo, o detalhamento e a qualidade da moldagem são impressionantes. O cockpit é um kit em si, com quase 40 peças, várias delas minúsculas mas perfeitamente moldadas (fora os PEs para fazer painel, cintos de segurança, placares, alavancas, etc). Simplesmente melhor do que tudo que já vi para Spitfire na 1/48. E já está disponível um Brassin ainda mais fantástico com peças em resina e PE... Uma coisa interessante é que algumas peças importantes como a placa de blindagem e os cintos de segurança somente são oferecidas em PE. Como ficará o kit na versão Weekend?

Interessante a solução de dividir o assento em três peças, com as laterais separadas, como no Tamyia 1/32. Uma peça é oferecida para fazer um rack de sinalizadores na frente do assento (F47), que segundo várias fontes não dotavam os Spits IX. Verifique as suas referências antes de usá-la. Outra solução interessante é a oferta de duas portas laterais do cockpit, uma para a posição "aberta" e outra para a posição "fechada", evitando recortes e adaptações.

Duas versões de profundores são oferecidas. Ambas são posicionáveis – praticamente todos os Spitfires ficavam com seus profundores "arriados" no solo, ao contrário dos flaps que quase nunca apareciam arriados no solo. O projetista do kit usou um artifício interessante, baseado no avião real, para manter os profundores alinhados – um tubo os une em uma peça única. Isso adiciona um pouquinho a mais de trabalho na montagem mas o resultado deverá ser excelente. São oferecidos os dois tipos de leme de direção comuns nos Spits IX ("normal" e pontudo"), separados e posicionáveis. A reprodução das superfícies enteladas é na minha opinião muito boa. As pontas das asas são separadas, e na árvore "F" encontramos as pontas "normais" e as "clipped", estas últimas oferecidas também na árvore de transparências para facilitar a representação das luzes de navegação. Todas as opções oferecidas neste kit usam as pontas de asas convencionais.

 

Ftree  bULKH  Parois1  Parois-BE 
 seat Aileron  Rudd  Profundor 

 

A árvore "G" contém as peças para completar as asas, trem de pouso, hélice e escapamentos. Uma viga transversal (G76) ajuda a firmar o diedro das asas e serve também como base para as baias do trem de pouso, um conjunto complexo de sete pares de peças que deverá dar um excelente efeito. Os radiadores subalares também são conjuntos complexos de sete peças cada, com a opção de serem montados "abertos" ou "fechados". O detalhamento é excelente, e as telas dos radiadores ficarão excelentes com um simples trabalho de pintura (drybrush/wash).

O trem de pouso oferece duas opções básicas, com ou sem os braços de torque – é necessário checar a referência para a aeronave específica que se está modelando, pois os Mk.IX mais antigos não as possuíam. As rodas são pequenas obras de arte, com uma moldagem impressionante. O kit oferece os três tipos de rodas usados pelos Mk.IX: com quarto ou cinco raios e com "calotas" protetoras, estas delicadas peças em PE.

A hélice proposta, uma Rotol de quatro pás, é oferecida as pás já posicionadas. A forma das pás parece adequada, embora haja minúsculas rebarbas que são facilmente removíveis com um golpe de lixa. Os escapamentos (do tipo fishtail) são excelentes, furados e com as marcas de solda dos canos, os melhores que já vi em plástico injetado na escala. A Eduard oferece um conjunto de escapamentos em resina, mas não creio que traga um ganho significativo – a peça em plástico já é muito boa.

G Tree  Rad  Exh  Prop 
tyres  wheels  LGD  Guns 

 

O kit ProfiPACK oferece uma pequena folha de PE colorido com vários itens importantes como cintos de segurança, painel de controle superdetalhado, manetes, etc. Pequenos detalhes que acrescentam muito, sem dúvida.

Completando o pacote, um jogo de máscaras para o canopi também é fornecido, uma ótima adição que economiza tempo e trabalho e ajuda muito no acabamento das transparências.

 PE


Opções oferecidas

  • Asa: 1 tipo (Mk.IXc late);
  • Pontas das asas: 2 tipos("normal" e "clipped");
  • Radiadores subalares: 2 posições (aberto/fechado);
  • Canopi: 2 opções (fechado/aberto);
  • Colimador: 2 tipos - Barr and Stroud GM 2 (RAF Reflector Sight Mk.II*) / Ferranti Gyro Mark IIc ('acemaker");
  • Painel de instrumentos: 2 opções - com detalhes em relevo (pintura e decais) ou liso (para uso com PE);
  • Porta do cockpit: 2 opções (aberta/fechada);
  • Retrovisor: 2 tipos (rectangular/redondo);
  • Capô superior do motor: 2 tipos ("arredondado"para os aviões com motores Merlin 66 e "chato" para os com Merlin 70);
  • Interseção asa/fuselagem: 2 tipos;
  • Lemes de direção: 2 tipos, "normal" e "pontudo";
  • Luzes de formação na fuselagem: 2 opções (com/sem).
  • Profundores: 2 tipos, "early" e "late";
  • Tomada de ar do carburador: 2 tipos ("curto" e "longo" para os que têm o filtro Vokes AeroVee, que logo veio a ser padrão);
  • Baia do trem de pouso: 2 tipos (com/sem braços de torque);
  • Bequilha: 2 tipos (roda separada/inteiriça);
  • Pernas do trem de pouso: 2 tipos (com/sem braços de torque);
  • Pneus: 2 tipos ("slick"/com ranhuras);
  • Portas do trem de pouso: 2 tipos (com/sem braços de torque);
  • Rodas: 3 tipos(quarto ou cinco raios/"calota" - PE).

 

Decais:

Acompanham o kit duas folhas de decais, uma com estênceis e marcas gerais e outra com as insígnias e marcações para seis aviões propostos. A fabricação é da própria Eduard. O decais são bem impressos, sem problemas de registro, e aparentemente finos e sem bordas significativas. De fato, concordando com alguns dos primeiros reviews publicados nos últimos dias, algumas cores usadas são passíveis de discussão (o azul dos cocares e o sky das letras de identificação parecem um pouco mais claros do que 'deveriam' ser) e os centros vermelhos dos cocares tipo "B" das asas superiores são um pouco maiores do que deveriam ser.

É muita vontade de se achar um erro... para os que realmente se incomodarem com isso há uma infinidade de cocares e letras disponíveis, provavelmente até nas nossas sucatas. Eu decidi usar do kit apenas os cocares e algumas marcações extras nesta montagem-piloto. O decais são realmente bastante finos e assentam extremamente bem desde que a superfície seja adequadamente preparada (no meu caso, com uma boa camada de Future para tirar o fosco da tinta).

Cinco dos aviões ostentam a pintura padrão da RAF, Dark Green, Ocean Grey e Medium Sea Grey, com cubos de hélice e faixas na cauda em Sky. Quatro deles também ostentam as faixas P&B usadas pelas forças envolvidas na Invasão da Normandia, que devem ser pintadas – não são oferecidos decais para as faixas. Lamentavelmente, todos os aviões que têm faixas de invasão foram entregues depois de 6 de junho de 44 aos seus esquadrões, o que faz com que as faixas sejam historicamente obrigatórias para qualquer um dos kits. O único que não tem as faixas (ML296) era equipado com motor diferente (Merlin 70) e usava a capota do motor alternativa (peças E2 e E3). Aliás, no texto das instruções ele é apresentado como MJ296 mas o decal, corretamente, traz o serial ML296 - que foi de fato um avião do 312 (O MJ296 foi do 349). Por fim, um dos aviões sugeridos tem acabamento em metal natural, uma boa opção para sair um pouco do lugar-comum dos Spitfires.

Dec-1  D-2 

 

Opções oferecidas:

  • A - Spitfire LF Mk.IXc, MH712, W/O Henryk Dygala, No. 302 Squadron (Polish) RAF, verão/outono de 1944
  • B - Spitfire HF Mk.IXc, ML296, F/Lt Otto Smik, No. 312 Squadron (Czech) RAF, North Weald AB, final de agosto de 1944 (Merlin 70)
  • C - Spitfire LF Mk.IXc, MJ586, Pierre Clostermann, No. 602 RAuxAF Squadron, Longues sur Mer, 7 de julho de  1944
  • D - Spitfire LF Mk.IXc, MJ250, No. 601 Squadron RAuxAF, Italy, verão de 1944 (em metal natural)
  • E - Spitfire LF Mk.IXc, ML135, Jerry Billing, No. 401 Squadron RCAF, Tangmere AB, 7 de junho de 1944
  • F – Spitfire LF Mk.IXc, ML135, Jerry Billing, No. 401 Squadron RCAF, Tangmere AB, julho de 1944

 

 

A  B  C 
D  E  F 

 

 

Conclusões

Estou muito satisfeito com o que vi na caixa deste kit e não só comecei a sua montagem imediatamente como encomendei um segundo, que já chegou com mais alguns acessórios para montar um "definitivo".

A Eduard continua elevando o nível no nosso Hobby, oferecendo desta vez a possível solução para a "maldição do Spitfire IX" na escala 1/48. Esta versão ProfiPack de lançamento oferece na caixa, por um preço bastante razoável (menos de US$ 50 na loja da Eduard, sem frete) uma base extremamente sólida para a construção de modelos excepcionalmente bem detalhados de um dos mais importantes (e belos, na minha opinião) caças da II Guerra.

Aparentemente este é apenas o início de uma série de Spitfires e produtos relacionados da Eduard. No momento já estão disponíveis vários Brassins (cockpit, rodas com 5 raios e diversos tipos de pneus, tanques suplementares e escapamentos 'fishtail'), sets em PE (o bem resumido que acompanha o ProfiPAck, um com detalhes em geral, um para os flaps arriados e um com painéis externos para superdetalhar o exterior), além de decais (para os estênceis, que se aplicam a boa parte dos Spitfires e cocares da RAF) e "overtrees" (conjuntos das árvores de peças sem acessórios, decais, etc), com opção entre Spits IX com asas das versões "c" early (com a bolha grande sobre as asas), "c" late (a mesma deste review) e "e" (com dois canhões de 20mm e duas metralhadoras .50).

Já estão anunciados novos lançamentos, Brassins para fazer o RR Merlin séries 60/70, o armamento no interior das asas, o compartimento do rádio e muito mais. No início de junho foram oferecidas duas novas caixas, em edição limitada, uma "Royal Class" e uma homenageando o retorno dos pilotos checos à pátria após a guerra em seus Spitfires, recheadas de extras e decais diferenciados.

Certamente novas caixas com o MK.IXe, o MK.IXc "early" e versões "weekend" surgirão nos próximos meses. Além disso, a Eduard já lançou kits desses Spitfires na escala 1/144. Será que não dava pra lançar um Spit nesse padrão na 1/72?

Altamente recomendado para todos os modelistas que tenham as habilidades básicas para lidar com kits de maior complexidade, com peças pequenas e PE.

Mais informações sobre o kit podem ser acessadas em http://www.eduard.com/spitfire/

 

Veja também estes reviews:

Acessórios em PE

Acessórios em resina

 

 

Agradecemos a Eduard pelo exemplar deste review

alt

 

 
 
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum