SU-22M4/ SU-17M4 "Fitter" - Eduard 1/48 (1151)
Escrito por Júlio Martins   
Qua, 22 de Dezembro de 2010 19:08


Eduard 1151

Breve histórico

No final dos anos 50, o caça bombardeiro SU-7 entrou em serviço na Força Aérea soviética e suas nações aliadas. Sua alta velocidade de pouso e decolagem era vista como a sua mais séria fraqueza. Buscando melhorias neste aspecto, a Sukhoi criou seu sistema de asas com geometria variável em 1963, e o SU-7IG (designação de fábrica para o SU-22I Fitter B), convertido de um SU-7 da linha de produção  recebeu as novas asas, com  a parte central das asas fixas e uma nova seção móvel variando de 30º a 60º. A seção fixa simplificou a produção, permitindo o fabricante manter o trem de pouso do SU-7. Esta aeronave vôou pela primeira vez em 2 de agosto de 1966, tornando-se então a primeira aeronave soviética de geometria variável.

A aeronave de produção foi nomeada SU-17 (Fitter C). Além da geometria variável, esta aeroanve difere do SU-7, seu predecessor, pelo novo canopi, avionicos e corcunda dorsal para maior armazenamento de combustível. Era motorizado com o mesmo Lyulka AL-7F-1 do SU-7. Foi exportado para o Egito sob a designação SU-17K.

O SU-17M3 (Fitter H) foi baseado na versão revisada do SU-17UM biplace, com tanque de combustivel extra e aviônicos no lugar do cockpit trazeiro, aumentando a capacidade de combustível para 4850 litros. O radar foi movido internamente, e possuia uma "Klen-P" designadora de alvos trazeira a lazer. Trilhos para mísseis AA-2 Atoll ou AA-8 Aphid foi adicionado entre os dois pilones preexistentes de cada asa.

Sua versão de exportação com motor Tumansky/ Khatchaturov R-29BS-300 e aviôncos usados no SU-17M2 foi designado SU-22 (fitter J). Outra versão exportação com aviõnicos do SU-17M3 foi designada SU-22M3.

O SU-17M4 (Fitter K) foi a versão final com upgrades e aviônicos, incuindo novos sistemas de navegação e radar SPO-15LE. Na fuselagem, nova de entrada de ar para refrigeração do motor, na base da deriva, foi adicionado. Muitas destas aeronaves foram equipadas para utilizar sistemas de mísseis guiados por TV, pods BA-58 Vjuga anti-radiação e motorização AL-21F-3. A versão exportação, assim como no M3, era designada SU-22M4.


O kit

Mais uma vez, a Eduard relança o Fitter Kopro, desta vez com a roupagem da versão M4, a mais moderna de todas. Caixa rígida  com belo desenh na tampa, 133 peças plásticas distribuídas em 5 galhas, sendo uma transparente, dois frets de photoetch, máscaras para pintura do canopi e rodas e um cockpit novo, completo em resina da linha Brassin da Eduard.

Na versão original, o cockpit é simplesmente imprestável. O set em resina e PE (Brassin) vem resolver definitivamente este problema. A Eduard desenvolveu aqui uma das mais belas peças que já ví desta fábrica! O set de PE tem excelentes detalhes, que casam com a resina e o resultado é fantástico!

O assento ejetor é completo, laterais com os instrumentos do cockpit, toda a parte trazeira do cockpit com os trilhos para o assento ejetor, detalhamento estrutural e elétricos. Não bastasse os ótimos detalhes conseguidos com a resina, os photoetches coloridos complementam os detalhes. Do kit original, apenas se aproveita o piso e o manche.

O canopi é de boa transparência. Máscaras de pintura completam o kit, em material semelhante às fitas Tamiya, recortadas a lazer e de tamanho justo, que facilitam a pintura.

Na parte externa temos a longa fuselagem e asas de geometria variável, que podem ser montadas com o movimento. O conjunto se divide em fuselagem, asas e deriva. Linhas de painel rebaixadas, de detalhes distantes do que temos visto dos novos kits Eduard. As inhas não são muito consistentes, variando em profundidade e largura. É uma forma antiga, de tecnologia antiga. Não espere nada de espetacular, mas os encaixes e o alinhamento estão em dia.

Para a versão M4, detalhes em resina e PE complementam a fuselagem, justamente os pods BA-58 Vjuga anti-radiação.

Asas seguem o padrão da fuselagem nos detalhes. Shape e linhas de painel corretos, asas móveis, mas qualidade dos decais é fraca. Porões de rodas mediocres e trens de pouso muito ruins. Alguns detalhes em PE tentam colaborar, mas não surtirão muito efeito não. Freios aerodinâmicos em partes móveis, mas infelizmente, o interior é muito fraco. Melhor deixar fechado.

Armamento externo completo, mas de detalhes pobres. O que vem no kit não me agrada.

Versões de pintura e decais

Instruções em livreto de papel couche com 16 páginas, alto nível, com passo a passo simples de seguir e belíssimos profiles coloridos. Decais Cartograf que agregam valor ao projeto para cinco versões de pintura.

Decais Cartograf, de qualidade inigualável, de cores firmes, finos, no registro e sem rebarbas. Muitas e muitas marcas de serviço.

  • Su-17M4, Amarelo '27', 20th GvAPIB, Templin Air Base, abril de 1994
  • Su-17M4R, 886th ORAP, Bagram Air Base, Afeganistão, Dezembro de 1998
  • Su-22M4, Exército Tcheco, 32nd zTl, Namest nad Oslavou Air Base,República Tcheca, 1994 até 2002
  • Su-22M4, Exército Popular da Tchecoslováquia, 47th pzlp, Pardubice Air Base, Tchecoslováquia, 1980
  • Su-22M4, No. 26 Squadron, Força Aérea do Yemen, 2009

Conclusão

O kit original da Kopro é muito simples, representando bem seu período de fabricação, mas continua sendo o único possível no mercado na 1/48. A Eduard vem relançando estes raros kits Kopro em 2010, sendo o primeiro o SU-7, depois tivemos o SU-17M3, o  SU-25 Frogfoot e agora o novo Fitter M4. A iniciativa é louvável, pois sem dúvida alguma os kits tem recebido bom embelezamento, com plástico melhor e acessórios superiores.

Recomendado aos fãs da aviação soviética na 1/48.

Obrigado Eduard pelo exemplar para review!

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum