Spitfire Mk.I Cockpit for Airfix Kit (Brassin) 1/48 - Eduard 648219
Escrito por Eduardo Mendes   
Qui, 23 de Julho de 2015 00:20

box

 

Spitfire Mk.I Cockpit for Airfix Kit 1/48 - Brassin Eduard 648219

 

O novo kit 1/48 do Supermarine Spitfire Mk.I da Airfix (A05126) tem sido aclamado como o melhor kit do Mk.I na escala, combinando acurácia, facilidade de montagem e detalhamento excelentes.

Todo bom kit, porém, pode ser melhorado por um modelista mais exigente. No caso do kit da Airfix, um dos seus (poucos) pontos fracos está exatamente no interior, correto mas com detalhes que poderiam ser mais refinados caso a opção seja apresentar o modelo com o canopi aberto e sem o piloto sentado em seu assento.

Para suprir essa lacuna, a Eduard lançou um conjunto Brassin, combinando mais de 30 peças em resina, uma folha de fotogravados e uma pequena folha de acetato para reproduzir de forma bastante acurada o cockpit de um Spitfire Mk.I. Algumas das peças são bastante parecidas com as de outros cockpit Brassin para os Spitfires Eduard, o que é natural, mas é evidente que uma boa pesquisa foi feita e o Conjunto, no geral, é muito completo e acurado.

 r1  r2
 r3  p1

 

Alguma atenção será necessária, porém, com relação à escolha do avião ao qual será adicionado este conjunto, pois algumas peças limitam a sua aplicação acurada a apenas alguns Spitfires Mk.I. Acontece que as primeiras séries de Spitfires de produção sofreram uma série de modificações de modo a solucionar problemas identificados nas unidades operacionais, uma prática natural especialmente quando se tratava de um avião que introduzia uma grande quantidade de novas tecnologias. Assim, entre 1938 e 1941, quando os Spitfires Mk.I foram operacionais na linha de frente, havia na prática uma grande variação de detalhes que nem sempre estão totalmente cobertos por esse conjunto de detalhamento. Por exemplo:

  • O conjunto somente oferece o sistema original de acionamento do trem de pouso (uma alavanca vertical que tinha que ser “bombeada” e que causou toda sorte de problemas, o menor deles um machucado típico nos dedos da mão direita dos pilotos). Este sistema equipou os Spitfires fabricados entre 1938 e o início de 1939, sendo então substituídos pelo acionador do sistema hidráulico que se transformou em padrão até o final da produção das várias versões.
  • O assento oferecido é o padrão, em material sintético, que passou a ser entregue a partir da yyª célula fabricada. Os Spitfires anteriores, via de regra, usavam um assento de chapa de metal (pintado na mesma cor do interior) que não é oferecido no conjunto;
  • A alça de mira oferecida é a Barr and Stroud Reflector Mk.II, que passou a equipar os Spitfires a partir do final de 1938. Originalmente os Spitfires foram equipados com uma mira rústica tipo “anel e conta”, embora várias unidades receberam um retrofit quando a nova mira se tornou disponível.
  • O posicionamento do regulador de voltagem mudou até encontrar a sua forma final fixado na placa de blindagem atrás da cabeça do piloto. O Conjunto oferece apenas esta opção, mas exemplares mais antigos podiam ter o regulador colocado mais abaixo, atrás da estação número 11.
  • As placas de blindagem para o piloto, atrás dos assentos, só foi adicionada a partir de meados de 1940. Após essa data foi efetuado um programa de retrofit que equipou rapidamente os Spitfires de linha de frente com elas. Assim, se o seu modelo é anterior a essa data, provavelmente ele não terá a placa de blindagem no cockpit.
  • Há um debate interessante sobre a cor dos cockpit dos primeiros Spitfires. Aparentemente a Supermarine pintava os cockpits com um tom de verde mais claro (próximo do eau-de-nil) do que o interior grey-green que se tornou o padrão da RAF nos tempos da Guerra. Mais um item para pesquisar.
  • A lateral direita do cockpit tem incorporados os comandos do rádio IFF (R.3002?), que somente passou a equipar os Spitfires Mk.I após o lamentável incidente da “Batalha de Barking Creek”, na primeira semana da Guerra (6 de setembro de 1939). Somente algum tempo após este incidente, às pressas, os Spitfires operacionais passaram a ser equipados com os IFF (e as suas antenas saindo da ponta dos profundores para o meio da fuselagem). É uma "caixa" no centro inferior da peça R57. Na época da Batalha da Inglaterra praticamente todos os Spitfires tinham IFF.

Isso tudo deve ser combinado coerentemente com peças do kit como a instalação do vidro a prova de balas no para-brisa, o canopi “reto” ou “em bolha”, a hélice (duas ou três pás, de Havilland ou Rotol), o mastro da antena HF (tubular ou perfilado) e, claro, as marcações. Ou seja, se o objetivo for acurácia será necessário fazer alguma pesquisa e escolher criteriosamente o que pode ser modelado. Infelizmente as instruções deste conjunto (que podem ser acessadas aqui) não trazem muita orientação quanto a isso.

No geral, este conjunto é tão bom que permite até a sua construção em separado como um modelo independente. Eu já fiz isso com um cockpit para o Mk.VIII e o resultado ficou excelente. Vou analisar as possibilidades e penso que brevemente levarei este conjunto para a bancada.

Recomendado!

 

 

Agradecemos à Eduard pelo exemplar deste review.

alt

 
 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum