IDF Weapons Set - Skunkmodels Workshop 1/48
Escrito por César Ferreira   
Qua, 10 de Junho de 2009 00:00

 


Recentemente foi lançado no mercado o 'IDF Weapons Set' na escala 1/48, da empresa Skunkmodels Workshop, atendendo ao anseio de muitos modelista por armamento israelense para aeronaves.

Um pequeno resumo de cada um dos itens:


Raphael Phyton 4:
O Python 4 é um míssil ar-ar de curto alcance de quarta geração desenvolvido no fim da década de 80 para equipar os F-15 BAZ. O Python 4 entrou em serviço nos F-15 e F-16 de Israel em 1994. Foi anunciado ao público em 1995 no salão aeronáutico de Le Bourget. O míssil foi associado ao visor montado no capacete de terceira geração DASH (Display And Sight Helmet) da Elbit. O Python 4 e o DASH foram desenvolvidos para superar a combinação Archer/HMS/Mig-29 que passou a estar disponível para os países árabes a partir de 1986.

O Python 4 não é apenas um míssil com maior alcance que Shafrir e Python 3, mas uma geração a frente como um míssil IR de curto alcance de quarta geração ("olhe-e-dispare"). Os requerimentos do Python 4 eram derivados dos sucessos e falhas do Python 3. O objetivo era obter uma maior oportunidade de disparo no combate aproximado, diminuição a carga trabalho do piloto durante o engajamento, maior capacidade de detecção e alcance cinemático, melhor capacidade de contra-contramedidas e rejeição de ruído de fundo.

Injetado em um plástico cinza claro, o míssil é muito detalhado e de fácil montagem. São quatro mísseis em quatro sprues distintos divididos em 7 peças para cada sprue, apresenta uma montagem fácil, com marcações e pinturas bem precisas.

 

Spice:
O Spice é um míssil de longo alcance, com guiamento de meio curso por INS e GPS e cabeça de busca terminal eletro-ótica (TV ou IIR) que pode transmitir imagens do alvo para a aeronave lançadora ou outra aeronave equipada com o casulo de datalink.

O Spice pode ser lançado a mais de 60km do alvo quando disparada a 14 mil metros de altura. O alcance varia de acordo com a altitude de lançamento podendo ser lançada de grandes e baixas altitudes.

O alcance permite que seja lançada além das defesas inimigas, incluindo mísseis de defesa aérea de área. O Spice também pode ser usado contra navios. Seu sistema de guiamento passivo limita a capacidade de detecção pelo inimigo.

Injetado em um plástico cinza claro, o míssil é muito detalhado e de fácil montagem. São quatro mísseis em quatro sprues distintos divididos em 18 peças para cada sprue, apresenta uma montagem fácil, com marcações e pinturas bem precisas.

 

AGM-142 Popeye:
Israel iniciou o projeto do míssil Popeye no inicio da década de 80 para uma arma de longo alcance, de ataque de precisão, guiada por TV para atacar alvos de alto valor como bases aéreas, pontes e casamatas. Israel usou a experiência obtida com o projeto da bomba planadora Pyramid e com o uso do míssil Maverick. Inicialmente foi sugerido que era derivado do projeto Condor da US Navy.

O Popeye tem construção modular com quatro seções: seção de guiamento e navegação, ogiva, motor foguete, e seção controle. As asas têm uma configuração inusitada com as asas inferiores maiores que as superiores. As superfícies de controle ficam na traseira. O motor foguete sólido de estágio único tem o exaustor abaixo da antena do datalink.

A ogiva é modular podendo ser escolhida e trocada antes da missão com opção de uma ogiva explosiva fragmentada de 340kg com 150kg de explosivo ou um penetrador I-800 de 360kg com 77kg de explosivos. Os israelenses não se preocuparam com uma ogiva muito potente, pois o míssil é muito preciso, com uma precisão (CEP) de 3 metros com a pontaria auxiliada pelo datalink, e atacaria os pontos fracos do alvo. Exemplos de alvos são transformadores, geradores, torres de refrigeração, instalações de combustível (refinarias, depósitos e oleodutos), estações de radar, centros comunicação e instalações de pesquisas.

A navegação de meio curso é por INS com guiamento terminal por TV. As versões mais recentes têm opção de usar um GPS e guiamento terminal por imagem infravermelha. A camera de TV CCD tem campo de visão de com 1,2 x 1,5 e 4,5 x 3,4 graus. As versões mais recentes têm campo de visão de 1,4 e 4 graus. O sensor de TV é usado nos últimos 30 segundos de vôo.

O casulo de datalink pesa 393kg com 3,53m de comprimento e 53cm de diâmetro. O casulo de datalink tem antenas para frente e para trás. Um gravador de vídeo é usado para análise dos dados pós-vôo.

O Popeye pode ser disparado a baixa altitude com alcance de 45km ou a grande altitude com alcance de mais de 70km. A Rafael israelense cita dois níveis de alcance stand-off: o "regular" é de 50-60km a grande altitude e 20-25km a baixa altitude, para a aeronave evitar as defesas e ainda precisa de escolta de caças. O alcance "real" é 50% maior que estes valores.

O Popeye tem 4,8 m de comprimento, 52cm de diâmetro, 2m de envergadura e pesa 1.380kg. O alcance máximo é tido como 78km.

Injetado em um plástico cinza claro, o míssil é muito detalhado e de fácil montagem. São quatro mísseis em quatro sprues distintos divididos em 11 peças para cada sprue, apresenta uma montagem fácil, com marcações e pinturas bem precisas.

 

GBU-15:
A GBU-15(V)/B é uma família de bombas com guiamento eletro-ótico (Electro-Optically Guided Glide Bombs - EOGB) desenvolvido pela USAF. A GBU-15 (Guided Bomb Unit-15) foi o resultado de uma solução para um requerimento de bomba pesada de precisão de longo alcance. Os combates no Vietnã demonstraram que as bombas guiadas a laser eram efetivas, mas ficavam restritas a linha de visada com o alvo durante o engajamento. A HOBOS guiada por TV usada pela USAF no conflito era uma arma do tipo "dispare-e-esqueça", mas tinha limitação de alcance. Nenhuma era boa para disparo a longa distancia a baixa altitude. A GBU-15 seria a solução. Um requisito era ser uma arma modular para escolher o sensor ou ogiva ao invés do corpo da bomba.

A GBU-15 nasceu do programa Pave Strike e do Programa Defense Suppression. O programa Pave Strike resultou na GBU-8 HOBOS. No Defense Suppression foram estudados o uso de datalink, Distance Measuring Equipment (DME) e do dispersador GBU-75.

O desenvolvimento foi iniciado em 1974 para demonstrar a capacidade de localizar e destruir um emissor de defesa aérea inimigo. O sistema também era conhecido como Advanced Location Strike System (ALSS). Na demonstração, uma GBU-15 com ogiva em cacho, foi guiada até o alvo por uma aeronave U-2C.

O desenvolvimento da família GBU-15 EOGB iniciou como uma melhora da família HOBOS usada no Vietnã. O projeto da Rockwell também era conhecido como MGWS (Modular Guided Weapon System), devido ao uso de várias cabeças de guerra, unidades de guiamento e aerofólio de controle, criando várias configurações. O nome original da GBU-15 era programa Cruciform Wing-Weapon (CWW) devido ao formato das asas. A USAF originalmente queria usar a designação AGM-112A e AGM-112B para as configurações de TV e IIR respectivamente. Por ser uma bomba planadora a designação não foi aprovada.

A primeira versão a entrar em serviço foi a GBU-15 guiada por TV. Os testes de vôo iniciaram em 1975 na configuração CWW (Cruciform Wing Weapon) devido ao arranjo das superfícies de controle. A GBU-15 mostrou um sucesso de 94% de acerto em 60 disparos. A versão IR realizou 30 disparos nos testes com sucesso de 85%.

Os modelos básicos eram a GBU-15(V)1/B com o sensor de TV diurno DSU-27A/B e a GBU-15(V)2/B com o sensor de imagem infravermelha WGU-10/B IIR (semelhante a do AGM-65D Maverick em 90% dos componentes) com capacidade noturna. Outros componentes em comum eram a bomba Mk-84 de 900kg, o modulo de controle WCU-6A/B, o grupo de asas MXU-723/B, a espoleta FMU-124/B e o datalink OA-8921/AXQ-14 operando na banda L. A primeira versão operacional foi a GBU-15(V)1/B entrando em serviço em 1983 seguida da GBU-15(V)2/B em 1985.

Injetado em um plástico cinza claro, o míssil é muito detalhado e de fácil montagem. São quatro mísseis em quatro sprues distintos divididos em 07 peças para cada sprue, apresenta uma montagem fácil, com marcações e pinturas bem precisas.

 

Detalhes do Set:
O set é composto por 20 sprues sendo dividido em 16 sprues para cada um dos quatros mísseis e bombas que compõem o set e um sprue de transparências representando as lentes dos mísseis, uma folha de instrução e duas folhas de decais.

A folha de instrução apesar de curta é bem objetiva até pela simplicidade na montagem de cada um dos itens e também pelo número de peças envolvidas em cada montagem. A aplicação dos decais bem como a pintura de cada arma é feita pela ilustração do verso da caixa e também nesse ponto a empresa procurou colocar tudo de uma forma clara e sem grandes mistérios.

 

A folha de decal é bem feita e o filme não apresenta aquele degrau típico de filmes grossos. Os datas são vem visíveis e nada embaralhado. Cada item do set tem seu campo próprio na folha de decal, evitando com isso que o modelista misture os decais de uma versão com a outra.

 

Conclusão:
É um item que não pode faltar na coleção de qualquer modelista que aprecie a moderna aviação de caça israelense. Um detalhe importante, não há na caixa uma indicação clara para qual aeronave o set indicado apesar de haver uma ilustração do F-16 SUFA na tampa da mesma, mas é fato que os F-15 israelenses também fazem uso desse equipamento.

Texto técnico retirado do site http://sistemadearmas.sites.uol.com.br

Boa montagem a todos.


Obrigado LUCKYMODEL pelo envio deste set para review!

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum