Bf-109 G-6 Eduard 1/48 Parte I (montagem)
Escrito por Eduardo Brettas   
Qua, 17 de Dezembro de 2014 07:14

A aeronave que tentarei representar será o Bf 109G-6 voado pelo Major Ludwig Franzisket do I./JG 27 com base em Fels am Wagram maio de 1944.
O Maj. Franziskt serviu com o JG 26, JG 1, JG 27 e ZG 1, cumpriu cerca de 500 missões de combate e obteve 43 vitórias.
Foi um piloto atuante em combate e ferido algumas vezes. Frequentou escola de treinamento de líderes antes de ser nomeado Gruppenkommandeur do I./JG 27 em 1943, inciando os combates na Defesa do Reich "Reichsverteidigung". Foi nomeado kommandeur do JG 27 no final de 1944, liderando esta unidade até o final da guerra.
Sobreviveu ao conflito vindo a falecer em 1988.
Qualquer comentário será bem-vindo.

A Harpia:

Imagem


Sua plumagem:

Imagem

 

 

As quatro primeiras fotos mostram o cockpit do kit da Eduard. Tem bons detalhes, mas algumas peças não estão corretas.
As rodas de controle dos flaps de aterrissagem e estabilizadores estão menores do que deveriam. O sistema de controle do oxigênio (peça redonda logo acima do assento), além de menor não está correto.

Imagem

Aqui uma foto para comparação. Observe que o painel com dois mostradores fica em diagonal virado para o piloto.

Imagem

A parede lateral esquerda boa, mas faltando alguns detalhes e com a "caixa" muito estreita da alavanca do acelerador moldada na parede lateral.

Imagem

A parede direita com áreas para encaixe do painel e outras peças. Faltando pequena abertura de ventilação.

Imagem

Não poderia faltar os famosos PEs da empresa. Algumas peças que estão faltando no assoalho do cockpit devem estar representada em PEs.

Imagem

 

Seguindo com o cockpit, em alguns casos preferi não usar os PEs
Acrescentei alguns dutos, correias e caixas de fusíveis. Pintei em RLM 66 e fiz um desgaste clareando algumas áreas.

Imagem

Imagem

Seta vermelha indica peças que usei em plasticard. Preferi não usar os PEs nesse caso.
Seta amarela indica correia feita com fita adesiva de caixa.

Imagem

Abaixo, a seta vermelha indica a abertura que o piloto usava para entrada de ar. O kit não vem com essa peça em Pe. Fiz em plastcard e sprue. No lado de fora da fuselagem esta abertura me parece que está no lugar certo, mas se olharmos para o lado de dentro a abertura ficaria atrás do painel de fusíveis. Esse painel deve estar maior do que deveria. Vou confirmar isso mais terde quando pegar na fuselagem.
A seta amarela apresenta a posição correta dos mostradores do oxigênio. Ele fica virado para o piloto e não na vertical como vem no manual.
O painel a direita tem muito bons detalhes, e não foi necessário usar o PE.

Imagem

Novamente a área de abertura de ventilação feita em plasticard e a correia de mapas com fita adesiva de caixa.

Imagem

 

O painel em Pe é muito bom, apesar de ter a superfície rugosa.
Depois e todas as peças coladas, apliquei verniz Acrilex fosco e logo depois, gotas de veniz vidtral nos mostradores.

Imagem

Parede lateral direita finalizada com a colagem do tudo do cilindro de oxigênio. Vai dar uma enganada, já que esta área não aparece muito. :-D

Imagem

 

Aconteceu uma coisa chata. Meu filho estuda aqui no escritório onde trabalho e acabou quebrando em vários pedaços a peça que representa o duto de combustível. Não deu pra recuperar e acabei fazendo outra com sprue esticado.

Imagem

 

Conclusão sobre o cockpit.

Pontos negativos:

01. Alguns detalhes deixaram a desejar como a caixa da manete de potência e o cilindro de oxigênio pequeno e errado na sua forma.
02. Não tem as aberturas de ventilação.
03. Aquela abertura na parte de trás do cockpit que foi usado para equipamento do piloto e que depois foi instalado as caixas de baterias não está correta. Ficou maior do que deveria.
04. Posicionamento errado dos mostrador de oxigênio.

Pontos positivos:
É sem dúvida muito melhor que o cockpit do Hasegawa com ótimos detalhes no assento do pilotos, piso e painel de fusíveis, além do duto de combustível que vem transparente.

 

Passando agora para a fuselagem, antes de colar, testei os encaixes. Infelizmente esse kit não em pinos de encaixe, além disso, a fuselagem direita veio um pouco empenada (seta vermelha).
O único ponto de encaixe bom é a parte traseira do cockpit na junção com a fuselagem.

Imagem

Ainda sem colar a fuselagem, usei os desenhos da Kagero que tem as medidas corretas para uma comparação. Dá pra ver bem que o kit é maior, cerca de 4 mm. Todo o erro acontece da parte traseira do cockpit para a cauda .
As linhas vermelhas representam o kit.

Imagem

Recentemente no HS, um review do Brad Fallen apresenta o kit com uma única desvantagem "Dimensional issues that detracted from the original Bf 109 G-6 release carried over to this boxing". http://www.hyperscale.com/2014/reviews/ ... ewbf_1.htm
Esse é um problema menor diante de vários erros que o modelo apresenta.

Um deles está na famosa bolha inventada pela Eduard. A empresa copiou essa bolha de um Buchon transformado em Bf 109G-4. Para resumir, essa bolha esconde o grande encaixe da asa na fuselagem e era característica marcante das versões A, B, C, D, e E. Os primeiros Bf 109F-1 tinham essa bolha pois incorporavam diversos elementos do E. Do Bf 109F-2 em diante essa área que cobre a junção asa-fuselagem foi modificada para retirar essa bolha.

Observem que a cobertura é construída de forma que esconde o encaixe, ficando com um desenho mais aerodinâmico.
Vejam as linhas amarelas e sua mudança no desenho. Seta vermelha indica o local onde ficaria a bolha.

Imagem

Portanto, para ter uma correção bem feita não basta apenas retirar a bolha como diz o pessoal da Eduard, é preciso modificar a forma da cobertura (isso eu não vou fazer).

Imagem

 

Como não existem pinos de encaixe, iniciei a colagem das duas metades da fuselagem pela cauda, acertando o alinhamento das sessões. Esse trabalho requer cuidado já que é preciso prestar atenção no ajuste até a peça redonda de encaixe do nariz.

Imagem

O manual indica a colagem do cockpit na fuselagem direita antes de colar a outra metade esquerda. Fiz o contrário, talvez por isso o encaixe não tenha sido perfeito do cockpit, mas de qualquer forma seria ideal colar a fuselagem e somente depois inserir o cockpit por baixo para ter um encaixe melhor.
Vejam a seta vermelha.
Gostei do encaixe do painel de instrumento.

Imagem

Imagem

Nesta área podemos ver que a cobertura do painel tem duas aberturas para apoio das mãos (seta verde). Será preciso fechar a linha de divisão da fuselagem com massa ou bonder (seta vermelha) e nesse caso as linhas das aberturas serão perdidas e terão que ser refeitas. A seta amarela indica a borracha de vedação da carenagem do motor e será preciso fechar a divisão que aparece.

Imagem

Aqui dá pra ver que a Eduard não representou a "barriginha" que o 109 tinha na parte de baixo da fuselagem. Mais pra frente, antes de terminar o trabalho na fuselagem, farei uma comparação do Hasegawa, Eduard e Zvezda para mostrar isso.

Imagem

Carenagem inferior.

Imagem

 

Um dos problemas que havia notado nas imagens, mas ainda não tinha certeza era o tamanho e a forma estranha do escapamento.
Infelizmente os escapes são bem maiores do que deveriam e uma peça de reposição em resina não deverá resolver o problema, pois a abertura na carenagem é grande.

Imagem

Imagens para comparação.

Imagem

Imagem

As versões do Bf 109F, G e K tinham duas chapas na parte de cima dos escapes. No lado direito era reta e no lado esquerdo a chapa era dobrada para evitar que a entrada do supercharger recebesse os gases dos escapamentos.
A chapa do lado direito não vem com o kit da Eduard. Devo fazer com plasticar bem fino ou com resto de PE.

A seta vermelha mostra a chapa de proteção contra os gases.

Imagem

Imagem

Ponto positivo é que o escapamento já vem aberto na sua extremidade.
Ponto negativo é seu formato e tamanho errados.

 

Usei bonder para fechas algumas frestas na junção.
Segue abaixo uma comparação de alguns detalhes do modelo:
Infelizmente a Eduard inventou um encaixe da asa na fuselagem em forma de V na parte de baixo (seta vermelha). Essa linha não existe e deverá ser fechada. Na foto da aeronave real abaixo pode-se ver bem como era a parte inferior nesta área. (duas setas vermelhas)
A Hasegawa também inventou esse encaixe, só que ele é reto. Quem quiser fazer correto, é só fechar a linha.
A seta amarela indica uma porta de acesso ao tanque de combustível que foi omitida pela Eduard. (O kit da Hasegawa tem essa porta, mas na foto ela não aparece)

Imagem

Imagem
Fonte da imagem: eBay.

Porta de acesso ao tanque de combustível.

Imagem
Fonte da imagem: Modeler's Eye - Bf 109.

 

As duas entradas de ar que aparecem na carenagem do motor e tanque de óleo são características da versão G e K.
Elas não são alinhadas. Existe um pequeno desnível da primeira (seta vermelha) para a segunda (seta amarela) entrada e isso pode ser observado na foto abaixo. Observem a diferença das duas entradas seguindo a linha de painel indicada pela seta azul.
Por essa foto dá para comprar também a diferença do escapamento feito pela Eduard que é muito maior.

Imagem
Foto cortesia de Marc-André Haldman.

A Eduard errou no tamanho das entradas que ficaram menores do que deveriam. Outra coisa que chama a atenção é a dobradiça que pode ser visto logo acima da linha do escapamento e aparece nos dois lados do kit. Essa dobradiça não existe pois a carenagem do motor abre para cima.
Os grampos que prendem a carenagem ficaram bem representados (círculo amarelo).

Imagem

A Hasegawa acertou no tamanho, mas errou ao fazer um desnível muito grande entre uma e outra. Os grampos são representados sem detalhes nenhum.

Imagem

Lembro que o Famoso Bf 109G-2 "6 preto" que está em Hendon tem essas entradas colocadas de forma errada também.

 

A entrada de ar do charger era dividida em trés partes: A boca que era fixada com parafusos e duas abas que dobravam na base, eram soldadas no meio e fixadas com rebites na carenagem.
Uma característica dessa entrada era o recorte na sua base (seta vermelha) devido ao aparecimento da bolha da MG 131 logo acima. Esse formato do recorte foi produzido por todas as fábricas e era padrão no G-5, G-6 e G-14, mas uma pequena quantidade com essa aba reta foi produzida pela fábrica Mtt. Reg dentro do lote WNr.166xxx, mas também nem todos dentro deste lote tinha esse formato. É difícil achar nas fotos o avião que mostre essa aba reta devido a sua pouca produção. Uma aeronave muito conhecido com essa aba reta é o Bf 109G-6 WNr.166221 voado pelo Hartmann.

Seta vermelha mostra o recorte na aba e seta amarela os rebites do Bf 109G-6 WNr.160756.

Imagem
Fonte: http://airandspace.si.edu/collections/a ... 9600327000

Imagem
Fonte: http://airandspace.si.edu/collections/a ... 9600327000

A Eduard optou por fazer essa base reta e separada das duas metades.

Imagem

A seta vermelha mostra uma linha de junção que não existe na entrada do charger.

Imagem

A Eduard perdeu a oportunidade de fazer uma entrada melhor. Omitiu alguns detalhes e a a forma não muito correta.
Lembrando que nenhuma das opções dos decais tinham essa base da entrada reta.
A Hasegawa fez esse recorte corretamente, mas também errou na forma.

Chamo a atenção para a dobradiça (seta vermelha) que vem separada da carenagem. É fina e precisa de cuidados para retirar da árvore.
Como disse antes, a fuselagem não tem pinos de encaixe sendo preciso ter atenção na hora de colar as duas metades. Isso vai influir no posicionamento correto da peça que representa a cobertura das MG 131 (seta amarela) e da dobradiça.

Imagem

 

Não gosto de rebites em kits na 1/48. Como você tem que lixar aqui e ali, sempre perde alguns e refazer é um saco.
A Eduard já cometeu erros em outros caças alemães, inventando rebites onde não existe e aqui na parte superior da cauda a empresa fez o mesmo.
Observem o posicionamento errado do suporte da antena.

Imagem

Imagem
Fonte da imagem:  ebay.

Lixei aquela bolha na raiz da asa. Conforme já expliquei mais atrás, esta área tem um encaixe das asas e essa cobertura ganhou uma elevação suave para eliminar a bolha das versões A, B, C, D e E. Vai ficar assim.
Os vários rebites que aparecem na parte superior da cobertura das asas estão errados. Não existem nesta área.

Imagem

Ponto positivo: O bom encaixe das duas peças da cauda.
Ponto negativo: Vários rebites em locais onde não existem.

 

Fiz uma correção na aba da entrada do charger, seta azul.
Seta vermelha indica rebites em local que não existe.
Seta amarela indica dobradiça que não existe.
Existe outros rebites colocados em locais errados.
Nenhuma empresa fez o formato correto da entrada do charger nas versões F e G.

Imagem


Imagem

A empresa fez bons detalhes principalmente no porão das rodas, mas deixou outros detalhes importantes de fora também, um deles são as quatro aberturas na parte de encaixe das pernas do trem de pouso onde se podia ver o sistema de recolhimento das mesmas.

Eduard.

Imagem

Zvezda.

Imagem
Notem os rebites corretos.

Gostei bastante dos estabilizadores, principalmente do encaixe dos elevadores. Aqui também tem rebites demais em locais errados. Os principais ficaram de fora.

Imagem

 

A Eduard optou por fazer as pontas das asas separadas. Os rebites estão corretos, mas fez luz de indicação com formato de meia lua, o que não é correto.
Na foto abaixo observem que nesta área existe uma cobertura fixada por 4 parafusos (vemos dois na foto) e tem os lados retos, tendo uma pequena inclinação no encontro delas.

Imagem

Imagem

Gostei bastante do interior do porão das rodas. A empresa representou muito bema lona, reforços, rebites e a bolha onde encaixava o roda mais larga.
Atenção na colagem das asas. Não existem pinos e os encaixes estão indicados pelas setas, principalmente aqueles que aparecem no interior do porão.

Imagem

Porão das rodas do Bf 109G-6.

Imagem
Fonte: Walkaround Messerschmitt Bf 109G - squadron signal Publications.

Obs: Uma coisa interessante aparece na foto acima. Não vemos a lona que cobre toda parede interna do porão, pois esse é um avião de museu, mas isso não ocorria nos 109s na guerra. Essa lona impedia que a sujeira jogada pelas rodas entrassem nas áreas internas. Aqueles PEs da esc 1/32 bonitos mostrando esses detalhes ficam muito legais, mas não seria correto representar o avião sem a lona.

Asas coladas!

Imagem

 

Vou substituir duas peças do kit da Eduard por peças do kit da Zvezda que são bem melhores. São elas: O rack e tanque de combustível.

Rack da Eduard é cinza escuro.

Imagem

Imagem

Imagem
Fonte: Modeler´s Eye - Bf 109

Tanque de combustível da Eduard é cinza escuro.

Imagem

Imagem
Fonte: http://forum.12oclockhigh.net/forumdisplay.php?f=8

 

 

A seta amarela indica uma linha em diagonal que não existia no avião. Esta área inferior tinhas duas chapas grandes. Observem a seta vermelhas nas duas imagens.

Imagem

Imagem
Fonte: Expirado no eBay.

Asas coladas e encaixe perfeito! Agora é tratar de fechar a linha na área inferior da fuselagem.

Imagem

Imagem

 

Modificação feita nas luzes de sinalização. A cobertura será feita com verniz vitral no final do trabalho.

Antes:

Imagem

Depois:

Imagem

Imagem

 

Já está quase pronto pra começar a receber tinta.
Como disse antes, não tive problemas no encaixe das asas com a fuselagem e os encaixes das parte móveis como flaps e ailerons.

Imagem

Segue agora alguns detalhes:
Aquelas aberturas onde ficam os suportes dos slats devem seu aumentados no seu comprimento até o início da asa. Vou fazer isso já!

Imagem

Imagem
Fonte da foto: Messerschmitt Bf 109G-2 in Detail - Wydawnictiwo Militaria.

Nos flaps originais não existe o ressalto na base. Costumo corrigir isso colocando um tira de plsticard nesta área nivelando o local. Nesse caso, vai ficar assim mesmo.

Imagem

Imagem
Fonte da foto: Messerschmitt Bf 109G-2 in Detail - Wydawnictiwo Militaria.

Ótimo encaixe dos estabilizadores, mas não gostei da representação dos detalhes nos elevadores assim como nos ailerons.

Imagem

Imagem
Bf 109G-6 WNr.163824. Fonte: Internet.

 

A direita o radiador da Eduard que tem belos detalhes, mas não tem uma forma correta. A esquerda o radiador da Zvezda.

Imagem

Imagens para comparação.

Imagem
Fonte da imagem: http://scalemodels.ru/

Imagem

Os flaps inferiores dos radiadores são muito bons, mas flaps superiores ficam devendo devido a estranha forma das abas laterais, muito grossas.

Flaps inferiores.

Imagem

Flaps superiores.

Imagem

Imagem para comparação.

Imagem
Fonte da imagem: Bf 109G Walkaround - Squadron Signal.

Aqui está uma correção que faço para os flaps superiores da hasegawa.

Imagem

 

Como o G-6 de Franzisket tem o "papo" amarelo, pintei a área interna do radiador. A grelha em spreu foi lixada e usei o PE que acompanha o kit.
As peças do radiador encaixam muito bem.

Imagem

Imagem

Imagem

Imagem

 

Pelas fotos abaixo, vocês poderão ver que o kit tem erros graves e um deles, é o tamanho exagerado dos escapamentos. Isso avi ter influência também no tamanho e posição correta da chapa de proteção que vai ser colada mais para frente.
O radiador também não tem um formato correto e a pequena curva na junção da peça com a fuselagem aparece muito pouco (veja seta), além disso é menor em altura.
Atenção: Antes de colar o radiador no kit, é preciso testar, pois vai precisar dar uma lixadinha aqui e ali! ;)

Imagem

Imagem

 

A abertura que aparece na junção da asa com a fuselagem deve ser fechada (seta vermelha).

Imagem

Imagem

Os flaps dos radiadores da asas já estão pintados. Falta algum envelhecimento.

Imagem

 

 

Enquanto finalizo os detalhes no kit, vou iniciar o trabalho no trem de pouso e portas.
Sobre as portas, existiam diferenças nas versôes E, F e G e a Eduard tentou, mas não conseguiu fazer correta.

Imagem

Imagem

Imagem

O trem de pouso está razoável, mas não gostei das tesouras que estão apoiadas sobre a área do amortecedor. O cabo do freio hidráulico é bastante exagerado.

Imagem

Imagem

 

Abri um pouco mais a área por onde correm os suportes dos slats. (explicação sobre isso nas páginas anteriores)
Retirei aquela horrível bolha na raiz da asa e corrigi o local das luzes de sinalização. (esqueci de indicar com as setas. explicação sobre isso nas páginas anteriores)

Imagem

Abertura circular de acesso a área interna do painel onde ficavam o recipiente dos cartuchos. Todas as aeronaves que tinham a MG 151/20 nas asas tinham essas aberturas nas duas asas.

Imagem

Imagem

Seta vermelha: indica as linhas de painel corrigidas e painel acrescentado, pois não existia no kit. (explicação nas páginas anteriores)
Seta amarela: indica os rebites feitos novamente. (infelizmente não aparecem muito na imagem) Esses rebites do kit estão exagerados.
Seta azul: Rack do tanque de combustível de 300l da Zvezda.

Imagem

Abertura do orifício de drenagem do tanque de óleo.

Imagem

Imagem

Para as MG 151/20 eu vou usar as duas peças em resina da Brassin. São excelentes com formas corretas. As peças do kit da Eduard também são ótimas, mas como elas são divididas no meio, para evitar trabalho com lixa, eu resolvi usar as da Brassin.

Imagem

 

Como disse antes, o kit tem rebites e parafusos delicados, mas tem também exagerados.
A tampa da abertura de acesso a Bússola mestre é uma peça que era aberta pela parte central, dessa forma ficava um pouco acima da superfície da fuselagem. Na foto abaixo podemos ver como era.

Imagem

Imagem

Exagerados também são os parafusos da tampa da abertura a área interna para os cabos do leme e bequilha.

Imagem

Imagem

 

 

 

PARTE II

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum