F6F-3 Hellcat 'Profipack' - Eduard 1/48 (8221)
Escrito por Júlio Martins   
Qua, 21 de Julho de 2010 00:00

 

Edaurd Item n. 8221

 

Histórico:

O F6F Hellcat foi projetado tendo em vista a necessidade de se confrontar o temido A6M Zero. Um pequeno relato de como o Hellcat era preparado para o combate se pode ler em "Zero, O Lobo dos Ares" - Martin Caidin - Ed. Renes.

"Sobrevoei lentamente o norte de Iwo Jima, aspirando profundamente e tentando relaxar. Passada a tonteira, voltei para a área de batalha. A luta terminara. Ainda havia Zeros e Hellcats no céu, mas muito afastados uns dos outros, tentando reunir-se aos respectivos grupos. À frente e à direita, avistei 15 Zeros voando em formação e aproximei-me para reunir-me a eles. Entrei sob a formação e...

Hellcats! Agora eu compreendia a razão porque o cirurgião protestara com tanta veemência contra meu retorno ao combate. Com apenas um olho, minha perspectiva estava muito deficiente. Escapavam-me, à distância, os detalhes que orientam a identificação. Somente quando as estrelas brancas nas asas azuis se tornaram nítidas é que percebi meu erro. Não perdi tempo em combater o medo que tomou conta de mim. Fiz um rolamento para a esquerda e, depois, uma curva fechada, mergulhando para ganhar velocidade, esperando que os pilotos inimigos não me tivessem visto. Não tive essa sorte, a formação de Hellcats se desfez e partiram em minha perseguição. Que podia eu fazer? Parecia que não teria chance alguma de escapar.

Agora eu percebia a velocidade desses novos caças. Em segundos, tão velozes eram, estavam já próximos. Era inútil continuar fugindo... Retornei, numa curva fechada. A manobra espantou os pilotos inimigos, ao me verem subir, em sua direção, numa espiral. Fiquei surpreso: eles não se separaram. O caça da frente respondeu com idêntica espiral, acompanhando à perfeição a minha manobra. Tornei a entrar em espiral, desta vez aproximando-me mais. Os caças adversários recusaram-se a ceder um palmo sequer. Isto era novidade. Um Airacobra ou um P40 se teria perdido, na tentativa de acompanhar-me assim. Nem mesmo um Wildcat poderia manter-se em espiral, durante tanto tempo contra o Zero. Mas estes novos Hellcats eram os aviões mais manobráveis que já havia encontrado. Saí da espiral e caí numa armadilha. Os 15 caças saíram de suas espirais e formaram uma longa coluna e, no momento seguinte, encontrei-me a circular dentro de um gigantesco anel formado por 15 aviões inimigos. Por todos os lados, só asas largas com suas estrelas brancas. Se algum dia um piloto se viu cercado, no ar, por todos os lados, fui eu."

Como se lê, os projetistas do Hellcat apenas não contavam em se deparar com Saburo Sakai! O maior Ás japonês escapou ileso deste ataque, que durou momentos intermináveis e quase o levou à exaustão.


O Kit:

Com a tradicional caixa dura e seu ótimo plástico oliva claro, temos 123 peças, sem rebarbas ou falhas de injeção, distribuídas em galhas embaladas duas a duas em sacos plásticos transparentes, photoetch colorido, decais para 5 versões, máscaras de pintura e instruções em livreto tamanho A4 colorido com 15 páginas.

Linhas de painel são rebaixadas, bem finas e demarcadas. É um kit dos melhores do mercado, e em termos de Hellcat, o melhor, sem dúvida. Os sets de photoetch dão mais realismo e enrriquecem o conjunto. Temos painel, cintos de segurança, detalhes de cockpit e na parte externa, detalhamento para bombas e fios do motor.

A primeira diferença que salta aos olhos ao comparar um F6F-3 e um F6F-5 é a janelinha logo atrás do canopy. O F6F-5 não tem, o F6F-3 sim. Asas tem painéis bastante diferentes nas duas versões. Aqui temos a do F-3 e três opções de cowling para o motor para versões diferentes.

A outra diferença é o pára-brisa. A galha de transparências, isolada em seu próprio saco plástico, apresenta pára-brisas e canopy para F-3 e F-5 translúcidos, sem distorções.

Um problema comum aos kits de Hellcat no mercado é o desenho do cowling, e aqui a Eduard me parece ter acertado. Para não deixar passar em branco, só faltaram os flaps de refrigeração posicionáveis. É raro ver um Hellcat com os flaps de refrigeração fechados, e em todos os diversos cowliongs que a Eduard preparou para esta série, nenhum tem a opção aberto.

Flaps, profundores, ailerons e leme são moldados em peças autônomas, permitindo a montagem das mesmas representando algum movimento, o que sempre dá um realce a mais no kit. O motor R-2800 do Hellcat está dignamente representado, com montagem de 9 peças para o conjunto.

Cockpit apresenta painel bem feito e correto para a versão F6F-3, com seus devidos instrumentos, além de outro, liso, para colar o painel em PE, sem precisar cirurgia alguma.

O detalhamento é realmente muito caprichado!

Decais e versões de pintura:

Decais da Cartograf de bela impressão, tudo no registro, com set completo de stencils para 5 versões, todas na pintura tri-color:

F6F-3, Provavelmente BuNo 66016, VF-16, USS Lexington, Hawaii, Setembro, 1943
F6F-3, BuNo 25813, Lt. C.K. 'Ken' Hilderbrandt, VF-33, Ondonga, Dezembro, 1943
F6F-3, BuNo 40090, VF-1, Lt. William C Moseley, USS Yorktown, Junho, 1944
F6F-3, BuNo 40467, Lt. Alexander Vraciu, VF-6, USS Intrepid, Fevereiro, 1944
F6F-3, Lt. Richard E. Stambook, VF-27, USS Princeton, Outubro, 1944

Conclusão:

Trata-se do relançamento deste fantástico kit, o primeiro da série Hellcat da Eduard. Com a tendência da Eduard em fabricar kits bastante complexos e com muitos painéis abertos, a exemplo da série FW-190, é uma pena o Hellcat não ter opção para asas dobradas.

Kit altamente recomendado! Montagem fácil, mesmo os iniciantes não terão problemas.

Obrigado EDUARD pelo exemplar para review.

 
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Banner
Clique nos links para ir a pagina.

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum