Gladiator 1/48 Limited Edition - Eduard 1145
Escrito por Henrique Castro   
Sáb, 23 de Janeiro de 2016 00:40

alt

Gladiator 1/48 - Limited Edition

Eduard - 1145

O Avião

O último e mais refinado caça biplano britânico, o Gladiator foi um desenvolvimento conceitual do Gauntlet com recursos aprimorados como cockpit fechado, flapes de bordo de fuga e pernas do trem de pouso principal cantiléver. O protótipo voou em setembro de 1934, e o primeiro dos 378 caças Gladiator Mk I entrou em serviço em 1937 até a chegada de caças monoplanos mais avançados em larga escala. O Gladiator Mk I foi complementado pelo Gladiator Mk II, do qual 311 foram entregues com motor Mercury VIIIA ou VIIIAS. Cerca de 38 aeronaves foram convertidas no padrão Interim Sea Gladiator, que serviu de base para o Sea Gladiator embarcado, do qual foram concluídos 60 aparelhos. O Gladiator operou nos teatros da Europa Oriental e Mediterrâneo de 1940 a meados de 1941.

Além do Reino Unido, o Gladiator foi operado por 18 nações. Portanto, foi para a Grã-Bretanha, um dos maiores sucessos de exportação antes da guerra. Ele se destacou em alguns cenários: na China, em 1938, lutou com sucesso contra os A5M Claude, até ser relegado para o treinamento devido a falta de reposição de peças e a entrada do A6M na guerra. Na Finlândia, em 1940, se destacou contra os soviéticos na Guerra de Inverno, contando dezenas de vitórias, porém, já não tinha como enfrentá-los na Guerra da Continuação, a partir de 1941, e foram colocados como aviões de reconhecimento. O Gladiator teve também algum sucesso no Norte da África, em 1940, contra os italianos. Na Batalha da Inglaterra, o Gladiator foi operado pelo 247 esquadrão, no entanto, já não recebia missões de combate.

O Gladiator tem uma história rica, por estar presente em quase todos os cenários no início da Segunda Guerra Mundial. Além disso, é uma marca da transição tecnológica entre os biplanos e monoplanos.

Fontes:

ABRIL COLEÇÕES. Biplanos, triplanos e hidroaviões: 1914-1945. São Paulo: Abril, v. 2, 2010. (Coleção Armas de Guerra). Tradução de Gisele C. Batista Rego.

DWYER, Larry. Gloster Gladiator. Aviation History Online Museum, 2014. Disponível em:

<http://www.aviation-history.com/gloster/gladiator.html>. Acesso em: 31 dez. 2015.

 

O Kit

A Eduard lançou uma edição limitada do Gladiator na escala 1/48, que oferece o seguinte:

  • partes plásticas do kit da Roden;
  • conjunto de fotogravado colorido;
  • máscara para pintura;
  • uma extensa folha de decais impressa pela Cartograf.

Vamos agora observar em detalhes esses itens.

 

Partes plásticas do kit da Roden:

O kit da Roden é o mais moderno disponível hoje para a montagem do Gladiator na escala 1/48. Foi lançado originalmente em 2002 e teve um acréscimo de peças no ano seguinte. O kit da Roden significou um grande salto de qualidade para a montagem do Gladiator, considerando que os modelistas contavam até então com um kit lançado por outra empresa no final dos anos 60. Portanto, em relação as peças plásticas, o lançamento da Eduard oferece o que há de melhor disponível.

No entanto, isso não significa que a injeção da Roden não tenha problemas. Contando com 14 anos no mercado, trata-se de um kit já bastante conhecido e experimentado, com boa documentação de sua montagem disponível e também dos resultados alcançados. Ele possibilita a construção de um excelente modelo, mas exige uma boa quantidade de trabalho para chegar a esse resultado. Por isso é recomendável que o modelista tenha uma boa experiência para trabalhar esse kit.

É possível citar algumas das principais dificuldades que serão enfrentadas:

O kit possui algumas rebarbas e marcas de injeção trabalhosas para remover, além disso, a superfície do plástico conta com pequenas rugosidades em alguns pontos, como no bordo de ataque das asas, leme e em partes da fuselagem. Considerando a simulação de lona, distorcida sobre a estrutura onde é montada, essas partes são difíceis de lixar e é necessário um trabalho cuidadoso para superar essas imperfeições e atingir assim uma pintura excelente. Existem também marcas nas laterais da fuselagem, embaixo da porta de acesso ao cockpit. Essas marcas formam uma depressão no plástico que fica aparente após a pintura caso não sejam corrigidas.

O encaixe entre a perna do trem de pouso e a fuselagem é uma tarefa difícil e exige bastante trabalho de preenchimento e lixa. Dificuldade semelhante é encontrada na carenagem do motor, que vem dividido em três partes, sem pino guia, e um dos cortes passa sobre uma das protuberâncias do cabeçote. Ele fica distorcido ao ponto de exigir sua reconstrução. Ainda na carenagem do motor, alguns modelistas percebem a necessidade de marcar uma linha de painel que foi ignorada, reconstruir as quatro fivelas que fecham a carenagem e também fazer as reentranças que estão na trajetória das balas das metralhadoras, que passam por dentro da carenagem do motor. É portanto uma parte trabalhosa. O painel de instrumentos também tem um posicionamento difícil, mas os demais encaixes funcionam bem.

O canopy, além de algumas rebarbas fáceis de remover, apresenta vários riscos, mas são sutis. O uso de polimento e de produtos para o tratamentos dessas transparências pode ajudar. Outro problema no canopy está na tentativa de fazer sua montagem aberto. Quando se coloca a parte móvel sobre a parte fixa, a espessura da peça faz com que a capota fique suspensa, sem contato com os trilhos. Apesar de aparentemente permitir sua montagem aberto, o kit não foi planejado para isso, tanto que o manual de montagem da Eduard e também o da Roden não consideram essa possibilidade. Isso é um desestímulo, considerando que boa parte do fotogravado que acompanha o kit vem com melhorias para o interior e que as transparências não são um exemplo de qualidade, prejudicando a visão interna. Muito melhor seria ter a opção de montar o canopy aberto, o que alguns modelistas se esforçam para fazer.

Uma grande vantagem do lançamento da Eduard, referente as peças plásticas, é que o kit permite a construção tanto do Gladiator Mk I, quanto do Mk II, e também do Sea Gladiator Mk II. Essas versões são vendidas em kits distintos pela Roden. 

alt alt alt alt
alt alt alt alt
alt alt alt alt
alt alt alt alt
alt alt alt alt

 

Conjunto de fotogravado colorido:

Esse conjunto apresenta a conhecida precisão e qualidade presentes nos fotogravados da Eduard. A maioria das peças são melhorias para o interior, contando com a reconstrução de todos os painéis, com destaque para a bela cor amadeirada do painel principal. Também oferece fivelas para os pedais, pastas de mapas, cintos de segurança muito bem detalhados, alavancas, roda de controle do profundor, além de outras peças que garantem um excelente nível de detalhamento. Para a parte externa vem com melhorias para o motor, mira, escape do cartucho das metralhadoras das asas e trava para o canopy. Esse fotogravado é um conjunto novo, desenvolvido para esse lançamento, portanto, não é o mesmo que era oferecido pela Eduard para o kit da Roden.

Não serão encontradas melhorias para o assento, manetes e parte interna das portas, para ter essas e outras peças é preciso adquirir outro conjunto de fotogravado, o Gladiator upgrade set - Eduard 48862.

Os conjuntos de fotogravados da Eduard, seja o que acompanha o kit ou aquele que pode ser adquirido separadamente, não oferecem uma tampa para o compartimento do rádio ou qualquer outro detalhamento para essa parte, que fica atrás do assento do piloto. O problema é que essa parte plástica é simples e o ideal é melhorar com o uso de algumas técnicas de scratch building, já que foi uma região ignorada.

alt alt alt alt alt

 

Máscara para pintura, versções e decais:

O conjunto para mascaramento é muito bem vindo, pois no Gladiator isso pode ser trabalhoso. Apesar de não possuir muitos frames, eles são finos e em ângulo. A qualidade das transparências também não ajuda. A parte difícil são os para-brisas. Existem duas opções, sendo uma delas a com blindagem. Como de costume, o conjunto conta com máscaras para a cobertura das rodas, o que pode ser desnecessário nesse caso, pois essa cobertura vem numa peça separada e é mais fácil pintá-la à parte e simplesmente encaixar no lugar, sem necessidade de mascaramento.

As edições limitadas lançadas pela Eduard têm como um dos atrativos a quantidade de versões disponíveis para montagens. Com o Gladiator não é diferente. Por ter feito parte de diversas forças aéreas e em diversos cenários, o Gladiator oferece uma grande quantidade de marcações e a seleção feita para o kit da Eduard parece atender bem a todos os gostos. Apesar de valorizar o Mk I e as marcações da Grã-Bretanha, as pinturas são bastante distintas, indo da pintura de deserto até o padrão todo prata anterior a guerra. São oito opções, dispostas assim:

2 do Gladiator Mk II (Grã-Bretanha)

1 do Sea Gladiator Mk II (Grã-Bretanha)

5 do Gladiator Mk I (Finlândia com esquis, Letônia, 2 da Grã-Bretanha e Bélgica)

Para compor essas versões o kit vem com uma grande folha de decais com a qualidade de impressão da Cartograf. Esses decais são excelentes e permitem uma marcação bastante completa, com stencils para diversas partes das asas, rodas, profundores e fuselagem. As belas pinturas fazem do Gladiator um avião que facilmente chama a atenção.

alt alt alt
alt alt alt

 

Outras observações:

A caixa apresenta uma bela arte de capa e numa das laterais estão ilustradas as diversas opções de marcação. O manual é no tamanho A4, colorido, e apresenta as etapas de montagem de forma bastante detalhada e de fácil compreensão, característica importante para um kit com essa quantidade de versões disponíveis. O diagrama com a explicação sobre a posição do cabeamento agradou bastante. A parte das marcações no manual mostra as duas vistas laterais e as vistas superior e inferior, além de contar com um texto apresentando cada um dos aviões. Eles são classificados de A a H para facilitar a identificação das peças a serem usadas na montagem. As suásticas foram apagadas no manual, mas existe sua indicação e estão completas na folha de decal.   

O kit que recebemos para review tem um defeito na injeção de uma das peças. Na dorsal da fuselagem. É possível ser corrigido, mas não é uma falha pequena e está num lugar ruim, onde o plástico simula o tecido sobre a estrutura, portanto, formando uma série de linhas. Vale ressaltar que a Eduard substitui gratuitamente peças com defeito de fabricação.

 

Conclusão:

Recomendado, pois mesmo com as partes plásticas da Roden exigindo boa experiência e sendo trabalhosas, esse kit da Eduard é a melhor opção disponível hoje para a montagem do Gladiator na escala 1/48. O acréscimo do conjunto de fotogravados e a quantidade de marcações e versões disponíveis se destacam, características que agradam bastante. O cockpit fechado, somado a qualidade ruim das peças transparentes, é algo  negativo, pois o kit conta com um conjunto de fotogravados que concentra suas melhorias no interior e é natural o desejo que esse interior fique bem visível no modelo. Apesar de não estar descrito no manual, e do deslizamento da capota fazer ela ficar flutuando sobre os trilhos, alguns modelistas se esforçam para tentar montar o canopy aberto. Se esse for o caminho, o aconselhável é adquirir o  Gladiatior upgrade set - Eduard 48862, pois ele conta com o detalhamento do mecanismo de travamento das portas de entrada, que não é discreto no Gladiator, ainda mais com a porta aberta, e nele também está o fotogravado que faz o assento, muito mais convincente que a peça injetada.

Veja aqui o Gladiatior upgrade set - Eduard 48862

Nossos agradecimentos à Eduard pelo exemplar para review

alt

 

Notícias e Reviews Anteriores

Ultimas do Forum